BIBLIOLOGIA – A DOUTRINA DAS ESCRITURAS

Derivada d “Biblion”, palavra de origem grega, Bíblia significa livros ou rolo.
           É formada pela reunião de 66 livros, sendo que 39 estão no Velho Testamento e 27 no Novo Testamento. 
           A palavra Escritura é usada no Novo Testamento em referência a Livros Sagrados do Velho Testamento (II Tm 3.16).
           O termo Palavra de Deus é usado em relação a escrita de ambos os Testamentos. (Mt 15.6, Jo 10.35, Hb 4.12).
           Sua escrita abrangeu um período total de aproximadamente 1.500 anos, tendo sido o livro de Gênesis escrito no ano 1.400 aC e o de Apocalipse no fim do século I dC. É, portanto, um livro antigo, o mais antigo dos livros, porém com uma mensagem atual. Tratando de problemas de cada geração (Is 40.8, Mt 24.35).
           Aproximadamente, 40 homes que desempenhavam atividades em distintas épocas, escreveram-na, sob inspiração do Espírito Santo, falando Deus a cada escritor o que Ele queria revelar aos homens.
           Inspiração: “É a direção de Deus sobre os que escreveram”. Pela inspiração Deus usou as diversas personalidades e estilos dos autores, para registrarem Sua revelação ao homem. Há textos que foram ditados por Deus (Dez Mandamentos). A teoria verbal e Plenária sobre a inspiração da Bíblia, entre muitas outras teorias a aceita, diz que cada palavra (verbal) e todas as palavras (plenária) foram inspiradas por Deus. (Êx 17.14, Mt 15.4, I Co. 2.13, Mt 5.17-18, I Pe 1.11-12). Assim, por terem a mesma fonte inspiradora, os livros harmonizam-se formando uma unidade. (Gl 1.11-12, II Tm 3.16-17, II Sm 23.2, Jr 36.2, II Pe 1.20-21, Ap 1.10-11).
        
           De “A Bíblia Anotada” transcrevemos:
           “Revelação é a comunicação da mensagem divina ao homem”.
           É Deus fazer-se conhecido dos homens.
           A Palavra foi revelada por vários meios: 
           1. Pela natureza  - Rm 1.18-21, Sl 19.
           2. Pela providência – Rm 8.28, At 14.15-17.
           3. Pela preservação do universo – Cl 1.17.
           4. Por milagres – Jo 2.11.
           5. Por comunicação direta – At 22.17-21.
           6. Por Jesus Cristo – Jo 1.14.
           7. Pela Bíblia – I Jo 5.9-12.
         
           A revelação bíblica foi progressiva, a cada grupo, a cada geração que estivesse preparada para recebê-la.
           Iluminação: É a direção do Espírito Santo sobre o homem que estuda a Palavra, para encontrar Deus e crescer no Seu conhecimento.
           Assim, a Bíblia é a autoridade final porque é a mensagem de Deus. Tem poder transformador de vidas, exercendo influência sobre os homens. (Is 6.5).
           Livros Apócrifos: “São 14 livros que constam em certas versões das Escrituras, escritos originalmente entre os séculos I e III aC, na maioria de autores desconhecidos” (Henry Haley)
           Nunca foram reconhecidos pelos judeus como livros inspirados por Deus, nunca fizeram parte do “Cânon Sagrado”, nunca foram citados por Jesus.
           Foram incluídos na versão grega do VT (Septuaginta), versão esta que foi usada na tradução da Bíblia para o latim.
           Tais livros foram incorporados à Bíblia utilizada pela Igreja Católica pelo Concílio de Trento, em 1546, ao tempo da Reforma Protestante do século XVI liderada por Lutero e aceitos na publicação do catecismo de 1566.
           Em certos textos encontramos declarações do próprio autor sobre a origem de sua inspiração. Assim, o autor do livro de Macabeus declara: “finalizarei aqui a minha narrativa. Se está felizmente concebida e ordenada, este é o meu desejo; se ela está imperfeita, e medíocre, é que não pude fazer melhor”...
          “Porque assim como o beber sempre vinho, ou sempre água, é coisa prejudicial, ao passo que é agradável fazer uso alternativo dessas bebidas, assim também se o estilo fosse sempre uniforme não agradaria”...
           Manuscritos: Ao longo dos anos Deus tem preservado a Sua Palavra. Muitos relatos temos a este respeito: “Em 1877, alguns arqueólogos fizeram escavações em Fayoum, no Egito. Descobriram ali o que teria sido a “Cidade dos crocodilos”.
           Num dos túmulos escavados, onde se procuravam muitos sinais arqueológicos valiosos, descobriram apenas crocodilos mumificados. Foi uma decepção. Mas, quando um dos trabalhadores irritado partiu com a pá um dos “bichos”, descobriu que estava recheado de documentos. Eram papiros, recibos, cartas, contratos e até porções valiosas da Bíblia. (Teologia Prática I, David Gomes).
           A história dos manuscritos do Mar Morto também nos inspira:
           “Corria o ano de 1947. Nas proximidades do Mar Morto houve a perda de algumas cabras que estavam sendo procuradas por um rapaz. Uma das cabras foi tragada por uma caverna. Na operação de busca descobriram jarros de barro na área de Qumram, provavelmente obra dos Essênicos” (anos 2 aC a 20 dC). Aquela corrida pelas cabras haveria de revelar ao mundo alguns dos rolos de Escrituras, colocados em grandes jarros de barro e enterrados numa caverna, no intuito de preservar para as gerações futuras, algo das maravilhosas Palavras de Deus. (Teologia Prática I – David Gomes).
            No Museu Britânico de Londres existe uma parte onde é exibida a Palavra de Deus, sendo proibido o uso de flashes, para evitar que manuscritos antigos sejam destruídos. Ali estão manuscritos conhecidos como: Vaticano, Alexandrino, Ephraem, Besa, destacando-se o Sinaítico Manuscrito do Vaticano que talvez seja o mais antigo dos Manuscritos existentes e contém quase todos os livros da Bíblia, exceto I e II Timóteo, Tito, Filemon e Apocalipse.
            Origem do VT: Os livros de nossa Bíblia fazem parte do Cânon (palavra que significa regra ou medida). 
            O Cânon do VT foi organizado por uma reunião de rabinos judeus, - O sinodo de jamnia (90 AD), que viveram 200 anos dC. Eles decidiram sobre quais livros lhes pareceram inspirados por Deus. Aqueles livros canônicos se tornaram os livros sagrados dos judeus e formaram nos dias de hoje o VT dos Cristãos. Vários testemunhos confirmaram a origem divina dos livros selecionados.
            Origem do NT: O Novo Testamento foi escrito em grego.
            O primeiro autor a reconhecer a inspiração divina dos Evangelhos foi Justino Martir (100-163).
            Maicon reconheceu a inspiração nos livros de Paulo. O Concílio de Cartago (397) reconheceu como canônico os 27livros do NT.
             Por que a Bíblia foi escrita?
             1. Revela Deus aos homens
                  Segundo William O. Cower, a “Bíblia é caracteristicamente a Palavra de Deus aos homens e não palavras de homens a respeito de Deus”.
                  A mensagem da Bíblia revela a história de Deus que procura o homem e o busca. Romanos 15.4. “Guia o homem a Deus”.
             2. Revela o plano de Deus para salvação de todos os homens. Jo 20.31. 
             3. Para edificação dos crentes: II Pe 3.18, II Tm 3:14-17, I Pe 2.2.
                  “Na Bíblia há relatos de erros, pecados e fracassos para nosso ensino. As experiências de vitória, fé e paciência são para nossa edificação”.
             4. Disciplina a vida cristã.
             5. Fala das necessidades e carências humanas e mostra a solução para pecado: Zc 13.1, Sl 119.105.
             6. Dá a “Grande Comissão” de evangelizar o mundo.

 

FACEBOOK
TWITTER
Please reload

Publicações Recentes
Please reload

Tel.: (21) 2253-2849 / 2223-3288  |  E-mail: contato@ebaronline.com.br

© 2017 Escola Bíblica do Ar - Todos os direitos reservados.​

​Desenvolvido e customizado por MTV Developer - RJ/Brasil