CAPÍTULO DA FAMÍLIA

Em todos os tempos e nas mais diversas culturas, a família recebeu sempre lugar de destaque pelo significado para a estabilidade social.

Existem hoje tendências altamente negativas, mas mesmo hoje a família não perde seu lugar de privilégio. Quando o amor verdadeiro incendeia dois corações, acontece algo muito importante.

Os filhos hão de continuar a manter a linhagem pela continuidade natural da raça. E no meio de todas as culturas e formações, a progênie, a estirpe valorosa se elevou perante os olhos de todos.

Os filhos que são enfeites podem se tornar também problemas, sem que qualquer deles ou mesmo a soma de todos possa anular o efetivo e alegre motivo de deixar nosso nome passar adiante de nosso dia como a luz que vai fixar nossa passagem pelo mundo, muitos anos depois de nossa partida.

Existem tradições que nos comunicam verdades para as famílias de hoje; outras, deixando lembranças no rastro de sua passagem.

Na Grécia e Roma antigas o homem era o machão, o dominador absoluto. Na China e no Oriente, em geral, a mulher é a dona-de-casa, a única guardiã de tudo, mas o marido é o dono dos negócios.
No meio de tantas trevas surgem raios de luz belíssimos, como o de Cornélia, a mãe que falava de suas joias e que, inquirida, do lugar das joias, pediu licença para exibi-las. E encantou a todos quando trouxe à sala os seus seis filhos!

QUE VIRAM EM TUA CASA?
A pergunta partiu dos lábios do profeta Isaias, quando dialogava com o dedicado rei Ezequias, o homem que teve quinze anos a mais de existência como resposta de oração.

Naquela determinada circunstância, os visitantes viram mais do que lhes devia ser mostrado. Ezequias tinha conseguido vitórias por demais grandes e foi traído por algum sentimento, quem sabe se de orgulho, e foi além do que se devia esperar.

Ezequias talvez não tivesse atentado ao fato de que seus visitantes eram pagãos e inimigos do Deus de Israel. Quantas vezes nos dias que correm incrédulos cobram de nós outros uma recepção regada a vinho e uísque, dentro da compostura de incrédulos e tantos são que traem a sua fé a troco do engodo da vaidade de pessoas.

A pergunta tem razão de ser nos dias que correm. Mas devemos formulá-la primeiro a nós mesmos. Que vejo eu em meu lar?

Cecil Osborne ( em A arte de Compreender o seu creconhece no lar o lugar mais difícil para um relacionamento perfeito. Ele chega a formular uma série de dez mandamentos para a esposa e para o esposo, que gostaria de divulgar neste estudo.

Dez Mandamentos para a Esposa
1)    Aprenda o verdadeiro significado do amor.
2)    Desista de seus sonhos de um “Casamento Perfeito” e lute para um “bom casamento”.
3)    Descubra as necessidades pessoais e singulares do marido e tente satisfazê-las.
4)    Abandone toda a dependência de seus pais e de toda a crítica dos parentes dele.
5)    Faça elogios e mostre apreciação, em vez de procurá-los para si.
6)    Abandone a tendência de ser possessiva e o ciúme.
7)    Cumprimente seu marido com afeto, em vez de fazer reclamações e exigências.
8)    Vença o complexo de princesa (Cinderela)
9)    Abandone toda esperança de mudar seu marido através da crítica ou ataque.
10)     Ore por paciência.
Dez Mandamentos para o Esposo
1)    Trate sua esposa com firmeza e gentileza.
2)    Seja pródigo no louvor e na reafirmação.
3)    Defina as responsabilidades
4)    Evite a crítica.
5)    Lembre-se da importância das “pequenas coisas”.
6)    Reconheça a necessidade dela de estarem juntos.
7)    Dê-lhe sentimento de segurança.
8)    Reconheça a validade dos estados de espírito dela.
9)    Coopere com ela em todo esforço para melhorar seu casamento.
10)     Descubra as necessidades individuais e particulares dela e tente satisfazê-las.
E aqui seguem os mandamentos que eu mesmo formulei:

Predisposições que Ajudam (esposo)
A avaliação honesta se constitui na mais alta expressão de crescimento na área em que se aplique. No dia-a-dia da vida em família existe sempre o desafio a uma atitude nobre.

1)    Descobrirei; cada dia, algo positivo em minha esposa. Aquele laço de fita no cabelo, o prato saboroso que preparou para mim, a saudação que deu de manhã, tanto quanto outras pequeninas coisas.
2)    Pesarei palavras e atos do dia-a-dia e eliminarei o menos digno.
3)    Descobrirei meios de ajudá-la em casa. Eu lavar pratos? Bem, talvez não seja um mandamento, mas boa sugestão.
4)    Ela é tão imperfeita! Acontece que também eu sou, mas decido, hoje, esquecer o que é falta e cultivar o que é melhor.
5)    Iremos sempre juntos à igreja e visitaremos irmãos carentes como parte de nossa tarefa comum.
6)    Jamais dormirei sem que possa orar com minha esposa e dizer-lhe: boa noite, querida.
7)    Ajudarei a cuidar dos filhos, até na noite de choro; são nossos filhos.
8)    Tentarei pensar um pouco mais, antes de dizer sim ou não, para não acontecer que falhe em compromisso assumido.
9)    Confio nela e cultivarei o meio de fazê-la confiar ainda mais em mim, para que o ciúme não nos venha a trair.
10)    Hei de me lembrar, sempre que “o amor é forte como a morte” e nossa vida a dois tem como meta “até que a morte nos separe”.
Predisposições que Ajudam (esposa)

1)    Ajudarei meu marido a conseguir a realização de seus ideais.
2)    Participarei das vitórias dele com alegria, considerando-as como nossa vitória.
3)    Cuidarei de minha aparência pessoal, mantendo a postura digna dentro de casa, tendo em vista causar-lhe alegria ao chegar cansado do trabalho.
4)    Evitarei, na medida de minhas forças, lançar todos os problemas do dia perante ele, aguardando sempre um momento a sós e de calma para comunicar determinados problemas.
5)    Terei prazer no cuidado dos filhos, que são a continuação dos ideais do nosso casamento.
6)    Tratarei os filhos como joias, na certeza de que se tornarão preciosas vidas no trato com a sociedade.
7)    Farei presente a vida religiosa do lar, tomando a Bíblia como escudo e defesa. O Salmo 101 estará em prática no meu lar.
8)    Minha casa receberá amigos e estará aberta a amigos do meu marido.
9)    Cuidarei das finanças de modo a evitar qualquer tipo de desperdício.
10)    Hei de lembrar sempre dos votos conjugais, aperfeiçoando em mim os meios de realizá-los plenamente.

Um Decálogo para Pais

A verdadeira conquista exige planejamento antecipado.

1)    Tratarei cada filho como bênção do Senhor e galardão (Salmo 126.3), nunca como peso.
2)    Lembrar-me-ei sempre que minhas pegadas serão seguidas por ele, pelo que as vigiarei com cuidado.
3)    Exercerei a disciplina com amor, mas com firmeza, certo de que ela ajudará na sua formação.
4)    Ensinarei ao filho o lugar de honra do sexo em seu corpo, impedindo que elementos de fora corrompam sua formação.
5)    Não lhe negarei recursos para a educação básica, concedendo-lhe cultura e orientação.
6)    Cuidarei de manter abertura ao diálogo com ele na posição de amigo.
7)    Deixarei que ele veja em meu relacionamento com meus pais, irmãos e parentes, algo que ilustre o verdadeiro sentimento cristão. Mais atos que palavras, realmente.
8)    Colocarei sempre diante de meus filhos atos e palavras e exemplos que despertem neles o que há de mais nobre.
9)    Aceito como obrigação e dever incutir nos filhos o ideal de se prepararem na medida de todas as suas possibilidades para uma vida independente e digna em profissões que sirvam a Deus e o país.
10)    Ajudarei meus filhos na escolha de amigos e, principalmente, na escolha do companheiro de vida, esposo ou esposa.

Ainda Cecil Osborne admite três posições para o casal no seio da família: o estado impossível de relacionamento, a categoria pessoal, quando alguém do par está interessado em consertar e aparar as arestas. Em terceiro lugar, discute a relação situacional, quando o amor do casal e o tempo de convivência favorecem a melhora de relações pela paz no lar.

Vejo aqui enorme oportunidade para o diálogo que abre luzes e desfaz muralhas. O diálogo feito em respeito pode criar soluções que transcendem situações as mais diversas.

Quero desafiá-los a que construamos, igualmente, o lar em que nosso amor seja abundante. Quando podemos amar a nós mesmos e o ambiente onde vivemos, tudo se torna possível. Aqui está um poema que fala em forma de verso aquilo que temos tentado descrever:

                                                “SE HOUVER AMOR”

                                 Seja a mansão bem rica, linda de encantar.
                                 Ou a choupana pobre, em qualquer lugar;
                                 Seja a família grande, ou se pequena for,
                                 São verdadeiros lares, se houver amor.

                                 Paz, doce confiança, para sempre têm.
                                 E novas esperanças todo o dia vêm.
                                 Filhos e pais unidos, firmes no Salvador,
                                 Formam felizes lares, se houver amor.

                                 Lares cristãos precisam difundir a luz,
                                 Para que seus vizinhos possam ver Jesus,
                                 Dando de si aos outros, orando com fervor.
                                 Tudo será possível, se houver amor.

Que tipo de mãe seria ideal?

Certamente alguém que possa estabelecer equilíbrio entre o dever de mãe, de esposa e de crente. Alguém que se negue a descuidar da aparência sua ou do esposo e que se esmere em tornar os filhos alguém que represente alegremente o lar.

A mãe ideal divide bem as suas despesas e acumula saldos. Ela divide amor, mas permanece cheia dele e traz ao ambiente do lar o acúmulo de tudo quanto é bom.


Ela reparte o ensino bíblico e continua tendo sempre a maior parte.
Ela não se julga heroína, mas não se maldiz ou lamenta.
Quem seria o pai dela?

Marcados pela paixão do trabalho, eles trazem nas mãos o selo do respeito. O bom pai alegra o filho e brinca com ele. O bom pai mantém o respeito mútuo em relação aos filhos e disciplina-os com amor.

EXEMPLOS QUE MARCAM E QUE NOS FAZEM PENSAR

Certa mãe chama o filho aos joelhos todas as noites, ensinando a oração tradicional: “Agora me deito para dormir; Guarda-me ó Deus que em Ti confio; se eu morrer durante o sono, leva-me ao céu de Tua companhia”.

O menino foi aprendendo a oração até que um dia perguntou aos pais: - será que vocês oram também, antes de dormir? A mãe embaraçada respondeu: - Você deve orar para ser bom; a que o menino disse: - Mamãe; creio que também você e papai podem ser ainda melhores.

Estava em visita a uma distinta senhora de nossa igreja. Como é hábito dos avós, ela falava, com orgulho, da última de seu netinho. Seus pais incrédulos, mas o garoto de dois anos viu a avó ajoelhada, em oração. Quis saber a razão e vovó explicou que pedia a Deus pela mamãe do garoto.

Dias se passaram e a orgulhosa vovó descobriu que o neto havia aprendido que também ele podia ajoelhar; cruzar as mãos e permanecer ajoelhado. Que tremenda força de exemplo!

Outra garotinha de dois anos ao ver o avô acamado, disse:
-Precisamos fazer oração para você ficar bom. E acrescentou:
-Outro dia eu tinha resfriado e fizeram oração, mas ninguém falou meu nome na oração.

Pais verdadeiramente fiéis são aqueles que servem de exemplo para os filhos. Existe autoridade em dizer que o fumo prejudica, quando quem comenta não fuma. Pratiquemos o amor e a concórdia e nos qualificaremos para aconselhar, orientar e ajudar.

A BÍBLIA REGISTRA FAMÍLIAS COM PROBLEMAS – ESTUDO BÍBLICO

Desejo proporcionar a todos a possibilidade de um estudo bíblico que pode ser realizado em grupos familiares ou mesmo em igrejas. O leitor encontrará neste capítulo sugestões variadas e práticas.

 Vamos citar apenas passagens bíblicas, deixando a cada um orientar o ensino e aprendizado de modo a atender às necessidades locais e mesmo pessoais. Creio firmemente que a variedade de tópicos nos dará algo de que a Bíblia fala a respeito da família, configurando o interesse de Deus pelo lar.

Quando Jesus deu início a seu ministério, atendendo a um convite e de alguém para que assistisse a um casamento, ele estava abrindo diante de nós uma imensa oportunidade: convidemos Jesus para chegar até nós, dando-nos sua mão de ajuda em problemas do lar. Jesus sabe mais que qualquer analista ou psicólogo. No livro mundialmente divulgado Return to Religion, Henry Link esclarece a razão de sua volta à igreja com palavras que lamento ter que reduzir:

“Minha volta à igreja não foi causada por depressão, velhice ou algum golpe psicológico. Estou com 45 anos e não tenho qualquer enfermidade; posso nadar livremente e disponho de recursos financeiros. Tenho uma família maravilhosa. Nada sensacional marca meu retorno à igreja e ao convívio com Deus.

“Como profissional que sou e psicólogo, examinei 5.000 pessoas nos últimos quatro anos. São pessoas de todos os tipos e de formações as mais diversas. Todavia, com pequenas exceções, trata-se de pessoas normais, mas insatisfeitas com sua forma de vida ou algum problema familiar ou vocacional. Muitos vieram dispostos a conseguir um divórcio e alguns sofriam dificuldades de relacionamento.

“Acontece que, em estudando tais problemas; fui forçado, na maioria das vezes, e enviá-los de volta à igreja e aos cultos. Ainda que, por mais de 20 anos, tivesse encontrado pouco tempo para assistir ao culto na igreja, senti que naquela direção estavam às soluções na sua maior parte.”

Como disse acima, não tentei traduzir o autor, mas dar um resumo de suas considerações. A conclusão é que precisamos de soluções espirituais para assuntos aparentemente situados em outro campo e linhas de pensamentos.

Acredito que o uso da matéria bíblica aqui colocada com muito empenho e com muito amor trará a todos soluções as mais belas e mais úteis para trato familiar e o desenvolvimento de nossas famílias e de tantas outras quantas se interessem pelo problema fundamental e vital para os nossos dias.

O inicio da história da família segundo a Bíblia se encontra nos dois primeiros capítulos de Gênesis. Sugiro ao leitor consultar, em Jesus Cristo Está Voltando, matéria pertinente à família em vários estudos, com inicio no capítulo 2. O livro pode ser pedido pelo reembolso à EBAR.

MÃES EM DESTAQUE NA BÍBLIA:

- Ambiciosa pelo bem dos filhos – Mt 20,21
- Ansiosa – Gn 27.46
- Brutalizadas e traumatizadas – 2Rs 6.28-30
- Cuidadosa 1Sm 2.18
- Amparada – Jo 19.26
- Entristecida – Gn 21.15-16
- Habilidosa – Êx 2.3
- Pacificadora – 2Sm 20.19
- Verdadeira – 1Rs 3.25-27

Extraído do livro: Casamento Feliz-Uma Caminhada a Três
Disponível para venda através do tel: (21) 2253-28440.

FACEBOOK
TWITTER
Please reload

Publicações Recentes
Please reload

Tel.: (21) 2253-2849 / 2223-3288  |  E-mail: contato@ebaronline.com.br

© 2017 Escola Bíblica do Ar - Todos os direitos reservados.​

​Desenvolvido e customizado por MTV Developer - RJ/Brasil