PROVÉRBIOS ENSINA SOBRE RIQUEZA E FINANÇAS

Traduzido e adaptado de Proverbs - a Topical study. Eldon Woodcock. Wipf and Stock Publishers. 2001.



SABEDORIA E OBTENÇÃO DO DINHEIRO


É de extrema relevância como o dinheiro é obtido. Provérbios nos lembra que Deus está fortemente preocupado com o modo como ganhamos a vida. Deus não está alheio a como obtemos nosso dinheiro.


Peso e balança justos pertencem ao SENHOR; obra sua são todos os pesos da bolsa. (16:11)


Balança enganosa é abominação para o SENHOR, mas o peso justo é o seu prazer. (11:1)


Não roubes ao pobre, porque é pobre, nem oprimas em juízo ao aflito, porque o SENHOR defenderá a causa deles e tirará a vida aos que os despojam. (22:22-23)


Os recursos monetários obtidos de maneira que não agrada a Deus, não nos trarão benefícios duradouros, mas apenas farão vir sobre nós a nossa própria miséria.


Os tesouros da impiedade de nada aproveitam, mas a justiça livra da morte . (10:2)


O perverso recebe um salário ilusório, mas o que semeia justiça terá recompensa verdadeira. (11:18)


Suave é ao homem o pão ganho por fraude, mas, depois, a sua boca se encherá de pedrinhas de areia. (20:17)


Trabalhar por adquirir tesouro com língua falsa é vaidade e laço mortal. (21:6)


Exercitar justiça e juízo é mais aceitável ao SENHOR do que sacrifício. (21:3)


O sacrifício dos perversos já é abominação; quanto mais oferecendo-o com intenção maligna! (21:27)



OS PRINCÍPIOS DE PROVÉRBIOS PARA O GANHO DO NOSSO DINHEIRO



1. o dinheiro que obtemos deve ser fruto dos esforços e do investimento do nosso tempo


O que trabalha com mão remissa empobrece, mas a mão dos diligentes vem a enriquecer-se. (10:4)


O que lavra a sua terra será farto de pão, mas o que corre atrás de coisas vãs é falto de senso. (12:11)


Em todo trabalho há proveito; meras palavras, porém, levam à penúria. Aos sábios a riqueza é coroa, mas a estultícia dos insensatos não passa de estultícia. (14:23-24)


Não ames o sono, para que não empobreças; abre os olhos e te fartarás do teu próprio pão. (20:13)


A posse antecipada de uma herança no fim não será abençoada. (20:21)


Cada um se farta de bem pelo fruto da sua boca, e o que as mãos do homem fizerem ser-lhe-á retribuído. (12:14)



2. nosso dinheiro não pode ser obtido a custa dos nossos princípios.


Dinheiro não pode ser obtido à custa da verdade


Suave é ao homem o pão ganho por fraude, mas, depois, a sua boca se encherá de pedrinhas de areia. (20:17)


Trabalhar por adquirir tesouro com língua falsa é vaidade e laço mortal. (21:6)


Dinheiro não pode ser ganho à custa da Justiça


Melhor é o pouco, havendo justiça, do que grandes rendimentos com injustiça. (16:8)


Os bens que facilmente se ganham, esses diminuem, mas o que ajunta à força do trabalho terá aumento. (13:11)


O rei justo sustém a terra, mas o amigo de impostos a transtorna. (29:4)


Dinheiro não pode ser ganho com prejuízo para outras pessoas


Não roubes ao pobre, porque é pobre, nem oprimas em juízo ao aflito, porque o SENHOR defenderá a causa deles e tirará a vida aos que os despojam. (22:22-23)


O que rouba a seu pai ou a sua mãe e diz: Não é pecado, companheiro é do destruidor. (28:24)


O que aumenta os seus bens com juros e ganância ajunta-os para o que se compadece do pobre. (28:8)


A quem dá liberalmente, ainda se lhe acrescenta mais e mais; ao que retém mais do que é justo, ser-lhe-á em pura perda. (11:24)


Dinheiro não pode ser ganho com o abandono da retidão


Os tesouros da impiedade de nada aproveitam, mas a justiça livra da morte . (10:2)


O perverso recebe um salário ilusório, mas o que semeia justiça terá recompensa verdadeira. (11:18)



3. nosso dinheiro não pode ser obtido a custa das prioridades ensinadas na Bíblia


Melhor é o pouco, havendo o temor do SENHOR, do que grande tesouro onde há inquietação. (15:16)


Melhor é um bocado seco e tranqüilidade do que a casa farta de carnes e contendas. (17:1)



COMO DESPERDIÇAR O DINHEIRO GANHO


1. Negligenciando o cuidado com o que temos


Passei pelo campo do preguiçoso e junto à vinha do homem falto de entendimento; eis que tudo estava cheio de espinhos, a sua superfície, coberta de urtigas, e o seu muro de pedra, em ruínas. (24:30-31)


Procura conhecer o estado das tuas ovelhas e cuida dos teus rebanhos, porque as riquezas não duram para sempre, nem a coroa, de geração em geração. Quando, removido o feno, aparecerem os renovos e se recolherem as ervas dos montes, então, os cordeiros te darão as vestes, os bodes, o preço do campo, e as cabras, leite em abundância para teu alimento, para alimento da tua casa e para sustento das tuas servas. (27:23-27)


2. Ganância


A justiça dos retos os livrará, mas na sua maldade os pérfidos serão apanhados. (11:6)


Aquele que tem olhos invejosos corre atrás das riquezas, mas não sabe que há de vir sobre ele a penúria. (28:22)


4. Impetuosidade


Os planos do diligente tendem à abundância, mas a pressa excessiva, à pobreza. (21:5)


5. Associação com pessoas erradas


Agora, pois, filho, dá-me ouvidos e não te desvies das palavras da minha boca. Afasta o teu caminho da mulher adúltera e não te aproximes da porta da sua casa; para que não dês a outrem a tua honra, nem os teus anos, a cruéis; para que dos teus bens não se fartem os estranhos, e o fruto do teu trabalho não entre em casa alheia; (5:7-10)


Não estejas entre os bebedores de vinho nem entre os comilões de carne. Porque o beberrão e o comilão caem em pobreza; e a sonolência vestirá de trapos o homem. (23:20-21)


6. Esbanjamento e extravagâncias


Quem ama os prazeres empobrecerá, quem ama o vinho e o azeite jamais enriquecerá. (21:17)


Tesouro desejável e azeite há na casa do sábio, mas o homem insensato os desperdiça. (21:20)


Achaste mel? Come apenas o que te basta, para que não te fartes dele e venhas a vomitá-lo. (25:16)


7. Ganhando para pagar as dívidas contraídas


O rico domina sobre o pobre, e o que toma emprestado é servo do que empresta. (22:7)


8. Ser fiador


Filho meu, se ficaste por fiador do teu companheiro e se te empenhaste ao estranho, estás enredado com o que dizem os teus lábios, estás preso com as palavras da tua boca. Agora, pois, faze isto, filho meu, e livra-te, pois caíste nas mãos do teu companheiro: vai, prostra-te e importuna o teu companheiro; não dês sono aos teus olhos, nem repouso às tuas pálpebras; livra-te, como a gazela, da mão do caçador e, como a ave, da mão do passarinheiro. (6:1-5)


O homem falto de entendimento compromete-se, ficando por fiador do seu próximo. (17:18)


Tome-se a roupa àquele que fica fiador por outrem; e, por penhor, àquele que se obriga por estrangeiros. (20:16)


Não estejas entre os que se comprometem e ficam por fiadores de dívidas, pois, se não tens com que pagar, por que arriscas perder a cama de debaixo de ti? ( 22:26-27)




PRIORIDADES PARA O USO DO DINHEIRO


1. Temos a obrigação de dar a Deus


Honra ao SENHOR com os teus bens e com as primícias de toda a tua renda; e se encherão fartamente os teus celeiros, e transbordarão de vinho os teus lagares. (3: :9-10)


2. Temos a obrigação de pagar as nossas dívidas com outros, sem atrasos


Não te furtes a fazer o bem a quem de direito, estando na tua mão o poder de fazê-lo. Não digas ao teu próximo: Vai e volta amanhã; então, to darei, se o tens agora contigo. (3:27-28)


A ninguém fiqueis devendo coisa alguma, exceto o amor com que vos ameis uns aos outros; pois quem ama o próximo tem cumprido a lei. (Romanos 13:8)


Eis que o salário dos trabalhadores que ceifaram os vossos campos e que por vós foi retido com fraude está clamando; e os clamores dos ceifeiros penetraram até aos ouvidos do Senhor dos Exércitos. (Tiago 5:4)


3. Temos a obrigação de suprir as necessidades dos nossos próximos


No tocante à sua casa, não teme a neve, pois todos andam vestidos de lã escarlate. Faz para si cobertas, veste-se de linho fino e de púrpura. (31:21-22)


Ora, se alguém não tem cuidado dos seus e especialmente dos da própria casa, tem negado a fé e é pior do que o descrente. (1 Timóteo 5:8)


4. Temos a obrigação de ajudar suprir as necessidades dos pobres


A quem dá liberalmente, ainda se lhe acrescenta mais e mais; ao que retém mais do que é justo, ser-lhe-á em pura perda. A alma generosa prosperará, e quem dá a beber será dessedentado. Ao que retém o trigo, o povo o amaldiçoa, mas bênção haverá sobre a cabeça do seu vendedor. (11:24-26)


O que despreza ao seu vizinho peca, mas o que se compadece dos pobres é feliz. (14:21)


O que oprime ao pobre insulta aquele que o criou, mas a este honra o que se compadece do necessitado. (14:31)


Quem se compadece do pobre ao SENHOR empresta, e este lhe paga o seu benefício. (19:17)


O generoso será abençoado, porque dá do seu pão ao pobre. (22:9)


O que dá ao pobre não terá falta, mas o que dele esconde os olhos será cumulado de maldições. (28:27)


Abre a mão ao aflito; e ainda a estende ao necessitado. (31:20)




5. Devemos ser previdentes com relação ao futuro


Vai ter com a formiga, ó preguiçoso, considera os seus caminhos e sê sábio. Não tendo ela chefe, nem oficial, nem comandante, no estio, prepara o seu pão, na sega, ajunta o mantimento. (6:6-8)


Os planos do diligente tendem à abundância, mas a pressa excessiva, à pobreza. (21:5)


Tesouro desejável e azeite há na casa do sábio, mas o homem insensato os desperdiça. (21:20)


6. Devemos saber investir sabiamente


Examina uma propriedade e adquire-a; planta uma vinha com as rendas do seu trabalho. (31:16)


7. Devemos considerar o que podemos deixar como nossa herança

O homem de bem deixa herança aos filhos de seus filhos, mas a riqueza do pecador é depositada para o justo. (13:22)


A posse antecipada de uma herança no fim não será abençoada. (20:21)



Parte II - ADMINISTRANDO A NOSSA RIQUEZA


O LUGAR CORRETO DA RIQUEZA NAS PRIORIDADES DA VIDA


Muitos parecem pensar que nada é mais importante na vida do que a posse de bens materiais, mas de acordo com Provérbios, existem muitas coisas que devem ser mais valorizadas que a riqueza.


1. Honestidade e bondade são melhores que a riqueza.


O que torna agradável o homem é a sua misericórdia; o pobre é preferível ao mentiroso. (19:22)


2. A boa reputação é melhor do que a riqueza


Mais vale o bom nome do que as muitas riquezas; e o ser estimado é melhor do que a prata e o ouro. (22:1)


3. Um caráter de acordo com o desejo de Deus é melhor do que a riqueza


Melhor é o pobre que anda na sua integridade do que o perverso de lábios e tolo. (19:1)


Melhor é o pouco, havendo justiça, do que grandes rendimentos com injustiça. (16:8)


4. Um lar pacífico, repleto de amor é melhor que uma conta bancária repleta de fundos


Melhor é o pouco, havendo o temor do SENHOR, do que grande tesouro onde há inquietação. (15:17)

Melhor é um bocado seco e tranqüilidade do que a casa farta de carnes e contendas. (17:1)


O que é ávido por lucro desonesto transtorna a sua casa, mas o que odeia o suborno, esse viverá. (15:27)




5. Sabedoria é melhor que riqueza


Aceitai o meu ensino, e não a prata, e o conhecimento, antes do que o ouro escolhido. Porque melhor é a sabedoria do que jóias, e de tudo o que se deseja nada se pode comparar com ela. (8:10-11)


Quanto melhor é adquirir a sabedoria do que o ouro! E mais excelente, adquirir a prudência do que a prata! (16:16)




O QUE O DINHEIRO NÃO PODE FAZER POR NÓS


1. Dinheiro não nos pode prover segurança para a vida


Os bens do rico lhe são cidade forte e, segundo imagina, uma alta muralha. (18:11)


Não te fatigues para seres rico; não apliques nisso a tua inteligência. Porventura, fitarás os olhos naquilo que não é nada? Pois, certamente, a riqueza fará para si asas, como a águia que voa pelos céus. (23:4-5)


2. Dinheiro não pode comprar Sabedoria


De que serviria o dinheiro na mão do insensato para comprar a sabedoria, visto que não tem entendimento? (17:16)


3. Dinheiro não pode comprar lealdade e fidelidade de pessoas


Ao generoso, muitos o adulam, e todos são amigos do que dá presentes. Se os irmãos do pobre o aborrecem, quanto mais se afastarão dele os seus amigos! Corre após eles com súplicas, mas não os alcança. (19:6-7)


A casa e os bens vêm como herança dos pais; mas do SENHOR, a esposa prudente. (19:14)


4. A salvação não pode ser comprada com dinheiro.


As riquezas de nada aproveitam no dia da ira, mas a justiça livra da morte. (11:4)


A justiça dos retos os livrará, mas na sua maldade os pérfidos serão apanhados. (11:6)


Quem confia nas suas riquezas cairá, mas os justos reverdecerão como a folhagem. (11:28)



O QUE O DINHEIRO FAZ POR NÓS


1. O dinheiro atrai muitos “amigos”


As riquezas multiplicam os amigos; mas, ao pobre, o seu próprio amigo o deixa. (19:4)


Ao generoso, muitos o adulam, e todos são amigos do que dá presentes. As riquezas multiplicam os amigos; mas, ao pobre, o seu próprio amigo o deixa. (19:4)


2. O dinheiro tende a dar ao seu dono uma falsa sensação de segurança


Os bens do rico lhe são cidade forte e, segundo imagina, uma alta muralha. (18:11)


3. O dinheiro tende a produzir orgulho e apatia para as coisas espirituais


O homem rico é sábio aos seus próprios olhos; mas o pobre que é sábio sabe sondá-lo. (28:11)




PARA CONCLUIR


2. Possuir ou não possuir riquezas não é evidência da superioridade espiritual de ninguém.


Uns se dizem ricos sem terem nada; outros se dizem pobres, sendo mui ricos. Com as suas riquezas se resgata o homem, mas ao pobre não ocorre ameaça. (13:7-8)


3. Deus não prometeu fazer de cada seguidor Seu uma pessoa rica


A bênção do SENHOR enriquece, e, com ela, ele não traz desgosto. (10:22)


Porque os retos habitarão a terra, e os íntegros permanecerão nela. Mas os perversos serão eliminados da terra, e os aleivosos serão dela desarraigados. (2:21-22)


2. Provérbios não nos encoraja a desejar a riqueza, mas sim a sacrificar tudo pela sabedoria.


Não te fatigues para seres rico; não apliques nisso a tua inteligência. Porventura, fitarás os olhos naquilo que não é nada? Pois, certamente, a riqueza fará para si asas, como a águia que voa pelos céus. (23:4-5)


Aquele que tem olhos invejosos corre atrás das riquezas, mas não sabe que há de vir sobre ele a penúria. (28:22)



UMA ORAÇÃO FINAL


Duas coisas te peço; não mas negues, antes que eu morra: afasta de mim a falsidade e a mentira; não me dês nem a pobreza nem a riqueza; dá-me o pão que me for necessário; para não suceder que, estando eu farto, te negue e diga: Quem é o SENHOR? Ou que, empobrecido, venha a furtar e profane o nome de Deus. (30:7-9)


(Adaptado e alterado de:The way of the wise: Studies in the Book of Proverbs, de Robert Deffinbaugh - Community Bible Chapel.Tradução e adaptação livre. Textos bíblicos: Almeida revisada - IBB).

Publicações Recentes

Tel.: (21) 2253-2849 / 2223-3288  |  E-mail: contato@ebaronline.com.br

© 2017 Escola Bíblica do Ar - Todos os direitos reservados.​

​Desenvolvido e customizado por MTV Developer - RJ/Brasil

Escola Bíblica do Ar - EBAR