O LIVRO DE PROVÉRBIOS CONTRASTA O SÁBIO E O TOLO

Traduzido e adaptado de Proverbs - a Topical study. Eldon Woodcock. Wipf and Stock Publishers. 2001.



1. O sábio e o tolo têm uma atitude oposta em relação à sabedoria


O escarnecedor procura a sabedoria e não a encontra, mas para o prudente o conhecimento é fácil. (14.6)


No coração do prudente, repousa a sabedoria, mas o que há no interior dos insensatos vem a lume. (14.33)


A sabedoria é alta demais para o insensato; no juízo, a sua boca não terá palavra (24.7)


2. O sábio tem prazer em manter a sabedoria. O tolo tem prazer no mal e no erro.


Para o insensato, praticar a maldade é divertimento; para o homem inteligente, o ser sábio. (10.23)


A sabedoria é o alvo do inteligente, mas os olhos do insensato vagam pelas extremidades da terra. (17.24)


3. O sábio não confia em si mesmo. O tolo o faz


Mais sábio é o preguiçoso a seus próprios olhos do que sete homens que sabem responder bem. (26.16)


O que confia no seu próprio coração é insensato, mas o que anda em sabedoria será salvo. (28.26)


4. O sábio adquire e aplica o conhecimento. O tolo somente demonstra sua tolice


O homem prudente oculta o conhecimento, mas o coração dos insensatos proclama a estultícia. (12.23)


Todo prudente procede com conhecimento, mas o insensato espraia a sua loucura (13.16)


Os simples herdam a estultícia, mas os prudentes se coroam de conhecimento. (14.18)


O coração sábio procura o conhecimento, mas a boca dos insensatos se apascenta de estultícia. (15.14)


A estultícia é alegria para o que carece de entendimento, mas o homem sábio anda retamente. (15.21)


5. O sábio tem discernimento. O tolo é simplório e facilmente enganado.


A sabedoria do prudente é entender o seu próprio caminho, mas a estultícia dos insensatos é enganadora. (14.8)


O simples dá crédito a toda palavra, mas o prudente atenta para os seus passos. (14.15)


6. O sábio ouve aos conselhos. O tolo prefere seus próprios caminhos e confusões


O caminho do insensato aos seus próprios olhos parece reto, mas o sábio dá ouvidos aos conselhos. (12.15)


Da soberba só resulta a contenda, mas com os que se aconselham se acha a sabedoria. (13:10)



7. O sábio é humilde. O tolo vive no seu orgulho

Em vindo a soberba, sobrevém a desonra, mas com os humildes está a sabedoria. (11:2 )


A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito, a queda. (16:18 )


Antes da ruína, gaba-se o coração do homem, e diante da honra vai a humildade. (18:12)


Não te glories na presença do rei, nem te ponhas no meio dos grandes; porque melhor é que te digam: Sobe para aqui!, do que seres humilhado diante do príncipe. A respeito do que os teus olhos viram, (25:6-7)


A soberba do homem o abaterá, mas o humilde de espírito obterá honra. (29:23)


8. O sábio possui auto-controle, paciência e boa vontade. O tolo é descontrolado, expressa raiva e fomenta tensões e hostilidades.


A ira do insensato num instante se conhece, mas o prudente oculta a afronta (12:16)


Os loucos zombam do pecado, mas entre os retos há boa vontade. (14:9 )


O longânimo é grande em entendimento, mas o de ânimo precipitado exalta a loucura. (14:29 )


O servo prudente goza do favor do rei, mas o que procede indignamente é objeto do seu furor. (14:35)


Honroso é para o homem o desviar-se de contendas, mas todo insensato se mete em rixas. (20:3 )


Os homens escarnecedores alvoroçam a cidade, mas os sábios desviam a ira. (29:8 )


Se o homem sábio discute com o insensato, quer este se encolerize, quer se ria, não haverá fim. (29:9)

O insensato expande toda a sua ira, mas o sábio afinal lha reprime. (29:11)


9. O sábio constrói. O tolo põe abaixo.


A mulher sábia edifica a sua casa, mas a insensata, com as próprias mãos, a derriba. (14:1 )


10. O sábio aprende, cresce, obedece e evita o perigo. O tolo só experimenta perigo, prejuízo, ruína e morte.


O sábio de coração aceita os mandamentos, mas o insensato de lábios vem a arruinar-se. (10:8)


Os sábios entesouram o conhecimento, mas a boca do néscio é uma ruína iminente. (10:14)


Os lábios do justo apascentam a muitos, mas, por falta de senso, morrem os tolos. (10:21)


Quem anda com os sábios será sábio, mas o companheiro dos insensatos se tornará mau. (13:20 )


O prudente vê o mal e esconde-se; mas os simples passam adiante e sofrem a pena. (22:3)


O prudente vê o mal e esconde-se; mas os simples passam adiante e sofrem a pena. (27:12 )


11. O sábio é recompensado. O tolo sofre


Se és sábio, para ti mesmo o és; se és escarnecedor, tu só o suportarás. (9:12)


Nos lábios do prudente, se acha sabedoria, mas a vara é para as costas do falto de senso. (10:13)


A boa inteligência consegue favor, mas o caminho dos pérfidos é intransitável. (13:15 )


O entendimento, para aqueles que o possuem, é fonte de vida; mas, para o insensato, a sua estultícia lhe é castigo. (16:22)


12. O sábio recebe e aprecia a disciplina, a correção e a repreensão. O tolo as rejeita e por isso é punido e derrotado.


O que repreende o escarnecedor traz afronta sobre si; e o que censura o perverso a si mesmo se injuria. Não repreendas o escarnecedor, para que te não aborreça; repreende o sábio, e ele te amará. Dá instrução ao sábio, e ele se fará mais sábio ainda; ensina ao justo, e ele crescerá em prudência. (9:7-9 )


O caminho para a vida é de quem guarda o ensino, mas o que abandona a repreensão anda errado. (10:17 )


Quem ama a disciplina ama o conhecimento, mas o que aborrece a repreensão é estúpido. (12:1)


O filho sábio ouve a instrução do pai, mas o escarnecedor não atende à repreensão. (13:1)


O que despreza a palavra a ela se apenhora, mas o que teme o mandamento será galardoado. (13:13)


Pobreza e afronta sobrevêm ao que rejeita a instrução, mas o que guarda a repreensão será honrado. (13:18)


O insensato despreza a instrução de seu pai, mas o que atende à repreensão consegue a prudência. (15:5)


O escarnecedor não ama àquele que o repreende, nem se chegará para os sábios. (15:12)


O que rejeita a disciplina menospreza a sua alma, porém o que atende à repreensão adquire entendimento. (15:32)


Mais fundo entra a repreensão no prudente do que cem açoites no insensato. (17:10)


O que guarda o mandamento guarda a sua alma; mas o que despreza os seus caminhos, esse morre. (19:16 )


Quando ferires ao escarnecedor, o simples aprenderá a prudência; repreende ao sábio, e crescerá em conhecimento. (19:25)


Quando o escarnecedor é castigado, o simples se torna sábio; e, quando o sábio é instruído, recebe o conhecimento. (21:11)


O homem que muitas vezes repreendido endurece a cerviz será quebrantado de repente sem que haja cura. (29:1)


13. O sábio é elogiado. As mentes pervertidas são menosprezadas.


Segundo o seu entendimento, será louvado o homem, mas o perverso de coração será desprezado. (12:8)


14. O sábio se enriquece. O tolo experimenta a tolice e a pobreza

Aos sábios a riqueza é coroa, mas a estultícia dos insensatos não passa de estultícia. (14:24 )


Os planos do diligente tendem à abundância, mas a pressa excessiva, à pobreza. (21:5)


Tesouro desejável e azeite há na casa do sábio, mas o homem insensato os desperdiça. (21:20)


15. O sábio traz alegria para seus pais. O tolo traz desgosto.


Provérbios de Salomão. O filho sábio alegra a seu pai, mas o filho insensato é a tristeza de sua mãe. (10:1)


O filho sábio alegra a seu pai, mas o homem insensato despreza a sua mãe. (15:20)


O que guarda a lei é filho prudente, mas o companheiro de libertinos envergonha a seu pai. (28:7)


O homem que ama a sabedoria alegra a seu pai, mas o companheiro de prostitutas desperdiça os bens. (29:3)



Traduzido e adaptado deProverbs -aTopical study.EldonWoodcock. Wipf and Stock Publishers. 2001.

Publicações Recentes

Tel.: (21) 2253-2849 / 2223-3288  |  E-mail: contato@ebaronline.com.br

© 2017 Escola Bíblica do Ar - Todos os direitos reservados.​

​Desenvolvido e customizado por MTV Developer - RJ/Brasil