top of page

O SERMÃO PROFETICO (Marcos 13)

O sermão profético – o princípio das dores (Mc 13:1-23) – O assunto mais mencionado na Bíblia é a vinda de Cristo, entretanto é o assunto mais distorcido e o mais desacreditado.Muitos falsos mestres negam que Jesus voltará e outros tentam enganar as pessoas marcando datas. Outros, dizem crer na segunda vinda de Cristo, mas vivem como se Ele jamais fosse voltar.

Os versículos 1 e 2 de Marcos 13 apontam para o deslumbramento dos discípulos e a declaração de Jesus. Os discípulos ficaram admirados com a magnificência do templo: era o terceiro templo de Jerusalém e era um dos mais belos monumentos arquitetônicos do mundo.Aquele templo era o centro da vida nacional de Israel, o símbolo da relação da nação com Deus. A predição de Jesus de que não ficaria pedra sobre pedra cumpriu-se no ano 70 d.C, quando, literalmente; o templo foi arrasado pelos romanos quarenta anos depois no terrível cerco de Jerusalém.

A profecia acerca da destruição de Jerusalém e da segunda vinda(13:3,4) – a resposta de Jesus aos discípulos tem a ver com a destruição de Jerusalém e também com a segunda vinda, a consumação dos séculos. A destruição aconteceu quando os judeus se rebelaram contra os romanos; Jerusalém foi invadida e dominada por Tito, filho do imperador Vespasiano (69-79 d.C.).

Os sinais da segunda vinda de Cristo – inicialmente, perceba o sinal que mostra a graça de Deus (13:10):

O evangelho é a mensagem de salvação divina, o evangelho deve ser pregado a todas as nações;

Cristo morreu para salvar os que procedem de todas as nações.

A pregação do evangelho é um mandamento claro de Jesus; leia Apocalipse 5:9 e 2 Pedro 3:12.

Os meios de comunicação de massa têm acelerado o cumprimento dessa profecia. Bíblias têm sido traduzidas, missionários têm se levantado.Podemos apressar o dia da vinda de Cristo.

Sinais que indicam oposição a Deus – a perseguição religiosa é mencionada no texto bíblico (13:9,11,12, 13, 19,20).Saiba que a vinda de Cristo será precedida de um tempo de profunda angústia e dor. A perseguição religiosa (13:9) tem estado presente em toda a história.A igreja não precisa temer a perseguição, seja oficial (13:9-11), seja pessoal (13:12,13), pois mesmo que Deus não nos livre da perseguição, Ele nos livrará na perseguição e através dela testemunhamos o evangelho, cumprindo a missão.

A pregação e o testemunho desenrolam-se num ambiente hostil.Quando nos identificarmos com Jesus Cristo, o mundo passará a nos odiar como odiou a Cristo (João 15:20).

O engano religioso (13:5,6,21-23) é outro sinal. Lembre-se que Jesus Cristo apontou para a Sua segunda vinda tenha sido o surgimento de falsos messias, falsos profetas, falsos cristãos, falsos ministros, falsos irmãos, pregando e promovendo um falso evangelho nos últimos dias; a segunda vinda será precedida por um abandono da fé verdadeira; o engano religioso vai estar em alta.

Sinais que indicam o juízo divino – o primeiro são as guerras (13:7,8) – o mundo está encharcado de sangue; houve mais tempo de guerra do que de paz; leia Apocalipse 6:1217 e veja que as colunas do Universo são todas abaladas.Quando Cristo vier, os céus se desfarão em estrepitoso estrondo. A fome é outro juízo divino; não deixa de ser um subproduto das guerras (2 Reis 25:1-3; Ez 6:11).

Os sinais do aparecimento do Anticristo (13:14-23) – atente para que o anticristo é prefigurado e descrito (13:14). O anticristo não é um partido, não é uma instituição nem mesmo uma religião: é um homem sem lei, uma espécie de encarnação de satanás, que vai agir na força e no poder de satanás. Ele será levantado no tempo da apostasia. Vai governar com mão de ferro; vai perseguir cruelmente a igreja; vai blasfemar contra Deus. Contudo, no auge do seu poder, Cristo virá em glória e o matará com o sopro da sua boca.

Os cuidados preventivos contra a perseguição (13:15-18) – Jesus nos ensina que a prudência para poupar nossa vida é uma atitude recomendável: veja a atitude de Jacó (Gn 32:9-15), do rei Ezequias (2 Crônicas 32:8) e do apóstolo Paulo (Atos 9:25; 27:31). O coração compassivo de Jesus revela um cuidado especial com as mulheres (13:17);

A grande tribulação também é um dos sinais (13:19) – todos sabemos que os filhos de Deus experimentam tribulações durante a sua vida na terra.Em Marcos 13:19,20, Jesus está falando acerca de uma tribulação que caracteriza “aqueles dias”, ou seja, um período definido de profunda angústia, de curta duração, que ocorrerá imediatamente antes do retorno do Senhor.

O cuidado de Deus com os seus eleitos (13:20) também está nesta rota.Neste tempo muitos filhos de Deus selarão seu testemunho com a morte. Deus tem os seus eleitos, isto é, a igreja de Deus é o povo escolhido antes dos tempos eternos (2Tm 1:9), eleito em Cristo antes da fundação do mundo (Ef 1:4).Deus poupa os seus eleitos; quem toca nos filhos de Deus, toca na menina dos seus olhos.Os eleitos de Deus não podem perecer (13:22).O anticristo pode até matá-los, mas mesmo que eles morram, os eleitos vencerão (Apocalipse 12:11): nada pode separar o eleito de Deus (Romanos 8:21-23)

O perigo da sedução (13:21-23), isto porque, o diabo enviará os seus agentes: falsos profetas e falsos cristos, com vestes sagradas, operando sinais e prodígios para enganar se possível os eleitos.

A descrição da segunda vida de Cristo será precedida por grandes convulsões cósmicas (13:24,25) – leia 2 Pedro 3:10; Deus vem julgar; o abalo do mundo traz o juiz. A segunda vinda de Cristo será visível (13:26), isto é, pessoal, visível e pública; todo olho O verá (Apocalipse 1:7).A segunda vinda será gloriosa (13:26); será vitoriosa (13:27); Jesus virá para arrebatar a igreja.

Preparação para a segunda vinda de Cristo

será precedida por avisos claros (13:28-31);

será imprevisível (13:32);

ninguém pode decifrar esse dia: ele pertence exclusivamente à soberania de Deus;

será inesperada (13:33-36. Quando Jesus voltar os homens vão estar desatentos como a geração diluviana; vão estar entregues aos seus próprios interesses sem se aperceberem da hora.Será necessária vigilância (13:37): é preciso estar preparado porque não sabemos nem o dia e nem a hora.Devemos viver em santa expectativa da segunda vinda de Cristo, orando sempre, “Maranata, ora vem, Senhor Jesus”.

Bibliografia:

1) Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal – CPAD – 2003

2) Bíblia Brasileira de Estudo – Editora Hagnos – 2016

3) Bíblia de Estudo da Reforma – Sociedade Bíblica do Brasil – 2017

4) Bíblia Shedd – Antigo e Novo Testamento – Edições Vida Nova – 2007

Comentário Expositivo do Novo Testamento – volume 1 – Hernandes Dias Lopes – Editora Hagnos - 2019

bottom of page