PROVÉRBIOS ENSINA SOBRE A PREGUIÇA

Traduzido e adaptado de Proverbs - a Topical study. Eldon Woodcock. Wipf and Stock Publishers. 2001.




AS CARACTERÍSTICAS DO PREGUIÇOSO


1. O preguiçoso é um procrastinador.


O preguiçoso não assará a sua caça, mas o bem precioso do homem é ser ele diligente. (12:27)


O preguiçoso mete a mão no prato e não quer ter o trabalho de a levar à boca. (26:15)


O preguiçoso não lavra por causa do inverno, pelo que, na sega, procura e nada encontra. (20:4)



2. O preguiçoso racionaliza a sua falta de ação


Diz o preguiçoso: Um leão está lá fora; serei morto no meio das ruas. (22:13)


Diz o preguiçoso: Um leão está no caminho; um leão está nas ruas. (26:13)


Um pouco para dormir, um pouco para tosquenejar, um pouco para encruzar os braços em repouso (24:33)



3. O preguiçoso escolhe a alternativa do menor esforço


Como vinagre para os dentes e fumaça para os olhos, assim é o preguiçoso para aqueles que o mandam. (10:26)


Quem é negligente na sua obra já é irmão do desperdiçador. (18:9)


A preguiça faz cair em profundo sono, e o ocioso vem a padecer fome. (19:15)


O preguiçoso morre desejando, porque as suas mãos recusam trabalhar. O cobiçoso cobiça todo o dia, mas o justo dá e nada retém. (21:25-26)


4. O preguiçoso é inconseqüente


O caminho do preguiçoso é como que cercado de espinhos, mas a vereda dos retos é plana. (15:19)


5. O preguiçoso requer supervisão e estímulo constante


A fome do trabalhador o faz trabalhar, porque a sua boca a isso o incita. (16:26)


A mão diligente dominará, mas a remissa será sujeita a trabalhos forçados. (12:24)



O RESULTADO DE SER PREGUIÇOSO


Passei pelo campo do preguiçoso e junto à vinha do homem falto de entendimento; eis que tudo estava cheio de espinhos, a sua superfície, coberta de urtigas, e o seu muro de pedra, em ruínas. Tendo-o visto, considerei; vi e recebi a instrução. Um pouco para dormir, um pouco para tosquenejar, um pouco para encruzar os braços em repouso, assim sobrevirá a tua pobreza como um ladrão, e a tua necessidade, como um homem armado. (24:30-34)


A preguiça faz cair em profundo sono, e o ocioso vem a padecer fome. (19:15)


Um pouco para dormir, um pouco para tosquenejar, um pouco para encruzar os braços em repouso, assim sobrevirá a tua pobreza como um ladrão, e a tua necessidade, como um homem armado. (6:10-11)


O que trabalha com mão remissa empobrece, mas a mão dos diligentes vem a enriquecer-se. O que ajunta no verão é filho sábio, mas o que dorme na sega é filho que envergonha. (10:4-5)


Não ames o sono, para que não empobreças; abre os olhos e te fartarás do teu próprio pão. (20:13)


A mão diligente dominará, mas a remissa será sujeita a trabalhos forçados. (12:24)


O que lavra a sua terra virá a fartar-se de pão, mas o que se ajunta a vadios se fartará de pobreza. (28:19)



AS ORIGENS DOS PROBLEMAS DO PREGUIÇOSO


1. O preguiçoso só pensa em si


O preguiçoso morre desejando, porque as suas mãos recusam trabalhar. O cobiçoso cobiça todo o dia, mas o justo dá e nada retém. (21:25-26)


2. O preguiçoso só procura o que lhe propicia prazer


O preguiçoso deseja e nada tem, mas a alma dos diligentes se farta. (13:4)


Quem ama os prazeres empobrecerá, quem ama o vinho e o azeite jamais enriquecerá. (21:17)


3. O preguiçoso é imediatista


Vai ter com a formiga, ó preguiçoso, considera os seus caminhos e sê sábio. Não tendo ela chefe, nem oficial, nem comandante, no estio, prepara o seu pão, na sega, ajunta o seu mantimento. (6:6-8)


O que ajunta no verão é filho sábio, mas o que dorme na sega é filho que envergonha. (10:5)



A SOLUÇÃO PARA O PROBLEMA DO PREGUIÇOSO


1. A atenção do preguiçoso deve ser obtida por meio de dor, pressão e problemas.


O justo tem o bastante para satisfazer o seu apetite, mas o estômago dos perversos passa fome. (13:25)


A fome do trabalhador o faz trabalhar, porque a sua boca a isso o incita. (16:26)


2. O preguiçoso deve mudar suas perspectivas e suas prioridades


Porque, quando ainda convosco, vos ordenamos isto: se alguém não quer trabalhar, também não coma. (2 Tess. 3:10 )


Aquele que furtava não furte mais; antes, trabalhe, fazendo com as próprias mãos o que é bom, para que tenha com que acudir ao necessitado. (Efésios 4:28)




4. O preguiçoso tem que trabalhar arduamente.


O que lavra a sua terra será farto de pão, mas o que corre atrás de coisas vãs é falto de senso (12:11)


Em todo trabalho há proveito; meras palavras, porém, levam à penúria. (14:23)


O que lavra a sua terra virá a fartar-se de pão, mas o que se ajunta a vadios se fartará de pobreza. (28:19)


Cuida dos teus negócios lá fora, apronta a lavoura no campo e, depois, edifica a tua casa. (24:27)



OS BENEFÍCIOS DO TRABALHO DILIGENTE


Procura conhecer o estado das tuas ovelhas e cuida dos teus rebanhos, porque as riquezas não duram para sempre, nem a coroa, de geração em geração. Quando, removido o feno, aparecerem os renovos e se recolherem as ervas dos montes, então, os cordeiros te darão as vestes, os bodes, o preço do campo, e as cabras, leite em abundância para teu alimento, para alimento da tua casa e para sustento das tuas servas. (27:23-27)


Vês a um homem perito na sua obra? Perante reis será posto; não entre a plebe. (22:29)


O que trata da figueira comerá do seu fruto; e o que cuida do seu senhor será honrado. (27:18)



O CONSELHO MAIOR: É HORA DE ACORDAR


E digo isto a vós outros que conheceis o tempo: já é hora de vos despertardes do sono; porque a nossa salvação está, agora, mais perto do que quando no princípio cremos. (Romanos 13:11)


Mas vós, irmãos, não estais em trevas, para que esse Dia como ladrão vos apanhe de surpresa; porquanto vós todos sois filhos da luz e filhos do dia; nós não somos da noite, nem das trevas. Assim, pois, não durmamos como os demais; pelo contrário, vigiemos e sejamos sóbrios. (1 Tess 5:4-6)


E não sejais cúmplices nas obras infrutíferas das trevas; antes, porém, reprovai-as. Porque o que eles fazem em oculto, o só referir é vergonha. Mas todas as coisas, quando reprovadas pela luz, se tornam manifestas; porque tudo que se manifesta é luz. Pelo que diz: Desperta, ó tu que dormes, levanta-te de entre os mortos, e Cristo te iluminará. Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, e sim como sábios, remindo o tempo, porque os dias são maus. (Efésios 5:11-16)



Vai ter com a formiga, ó preguiçoso, considera os seus caminhos e sê sábio. Não tendo ela chefe, nem oficial, nem comandante, no estio, prepara o seu pão, na sega, ajunta o seu mantimento. Ó preguiçoso, até quando ficarás deitado? Quando te levantarás do teu sono? Um pouco para dormir, um pouco para tosquenejar, um pouco para encruzar os braços em repouso, assim sobrevirá a tua pobreza como um ladrão, e a tua necessidade, como um homem armado. (6:6-11)


O que trabalha com mão remissa empobrece, mas a mão dos diligentes vem a enriquecer-se. O que ajunta no verão é filho sábio, mas o que dorme na sega é filho que envergonha. (10:4-5)


Como vinagre para os dentes e fumaça para os olhos, assim é o preguiçoso para aqueles que o mandam. (10:26)


O que lavra a sua terra será farto de pão, mas o que corre atrás de coisas vãs é falto de senso. O perverso quer viver do que caçam os maus, mas a raiz dos justos produz o seu fruto. (12:11-12)


A mão diligente dominará, mas a remissa será sujeita a trabalhos forçados. (12:24)



O preguiçoso deseja e nada tem, mas a alma dos diligentes se farta. (13:4)


O justo tem o bastante para satisfazer o seu apetite, mas o estômago dos perversos passa fome. (13:25)


Não havendo bois, o celeiro fica limpo, mas pela força do boi há abundância de colheitas. (14:4 )


Em todo trabalho há proveito; meras palavras, porém, levam à penúria. (14:23)


O caminho do preguiçoso é como que cercado de espinhos, mas a vereda dos retos é plana. (15:19)


A fome do trabalhador o faz trabalhar, porque a sua boca a isso o incita. (16:26)


Quem é negligente na sua obra já é irmão do desperdiçador. (18:9)


A preguiça faz cair em profundo sono, e o ocioso vem a padecer fome. (19:15)


O preguiçoso mete a mão no prato e não quer ter o trabalho de a levar à boca. (19:24)


O preguiçoso não lavra por causa do inverno, pelo que, na sega, procura e nada encontra. (20:4 )


Não ames o sono, para que não empobreças; abre os olhos e te fartarás do teu próprio pão. (20:13)


Quem ama os prazeres empobrecerá, quem ama o vinho e o azeite jamais enriquecerá. (21:17)


O preguiçoso morre desejando, porque as suas mãos recusam trabalhar. O cobiçoso cobiça todo o dia, mas o justo dá e nada retém. (21:25-26)


Diz o preguiçoso: Um leão está lá fora; serei morto no meio das ruas. (22:13)


Cuida dos teus negócios lá fora, apronta a lavoura no campo e, depois, edifica a tua casa. (24:27)


Passei pelo campo do preguiçoso e junto à vinha do homem falto de entendimento; eis que tudo estava cheio de espinhos, a sua superfície, coberta de urtigas, e o seu muro de pedra, em ruínas. Tendo-o visto, considerei; vi e recebi a instrução. Um pouco para dormir, um pouco para tosquenejar, um pouco para encruzar os braços em repouso, assim sobrevirá a tua pobreza como um ladrão, e a tua necessidade, como um homem armado. (24:30-34)


Diz o preguiçoso: Um leão está no caminho; um leão está nas ruas. Como a porta se revolve nos seus gonzos, assim, o preguiçoso, no seu leito. O preguiçoso mete a mão no prato e não quer ter o trabalho de a levar à boca. (26:13-15)


Mais sábio é o preguiçoso a seus próprios olhos do que sete homens que sabem responder bem.” (26:16)


O que lavra a sua terra virá a fartar-se de pão, mas o que se ajunta a vadios se fartará de pobreza. O homem fiel será cumulado de bênçãos, mas o que se apressa a enriquecer não passará sem castigo. Parcialidade não é bom, porque até por um bocado de pão o homem prevaricará. Aquele que tem olhos invejosos corre atrás das riquezas, mas não sabe que há de vir sobre ele a penúria. (28:19-22)



(Adaptado e alterado de: The way of the wise: Studies in the Book of Proverbs , de Robert Deffinbaugh - Community Bible Chapel. Tradução e adaptação livre. Textos bíblicos: Almeida revisada - IBB).


Publicações Recentes